Sahifa fully responsive WordPress News, Magazine, Newspaper, and blog ThemeForest one of the most versatile website themes in the world.

Mastopexia

Você sabia que a flacidez nas mamas normalmente aparece após o período de amamentação ou devido à perda de peso? A mastopexia é a cirurgia plástica que retira o excesso de pele, deixando as mamas mais firmes, elevadas, bonitas e uniformes. Esta cirurgia plástica, no entanto, corrige as mamas sem alterar o volume. Por isso, muitas vezes, é necessário associar implantes de silicone à mamoplastia.

CONHEÇA A MASTOPEXIA: O LIFTING DAS MAMAS

Uma queixa comum com as mamas é com a ptose (queda), decorrente de idade, genética, alterações hormonais, formato e peso dos seios, dentre outros fatores.

Mamas “caídas” podem ser melhoradas com a mastopexia, a cirurgia plástica que levanta e remodela os seios para que fiquem mais harmoniosos com o corpo e mais bonitos.

CURIOSIDADES SOBRE A MASTOPEXIA

  • A escolha dessa cirurgia plástica depende se há hipertrofia associada ou não.
  • Em casos em que os seios são fartos e há pele de qualidade, a mastopexia é feita com o próprio tecido da paciente.
  • Já em casos em que não há hipertrofia associada ou quando há falta de tecido de qualidade, é indicada a mastopexia de aumento, no qual é necessária a inclusão de próteses mamárias.
  • A cicatriz é, geralmente, em formato de “T” invertido ou em “L”. Ela acompanha o contorno das aréolas, sendo facilmente escondida sob sutiãs e biquínis.
  • O tempo de cicatrização completo da mastopexia é de até 1 ano. Nesse intervalo, a cicatriz pode ficar com aparência indesejada e escurecida, melhorando progressivamente com o tempo.
  • A anestesia para realização da mastopexia depende de cada paciente, mas, em geral, é feita com peridural ou anestesia geral.
  • A alta após a mastopexia ocorre, geralmente, entre 12 e 24 horas após a cirurgia plástica.
  • Depois da alta médica, você poderá fazer quase todas as suas atividades normais, tendo apenas algumas restrições nos 3 primeiros meses.
  • Essa cirurgia plástica melhora consideravelmente a autoestima das pacientes, pois elas se sentem mais seguras com seu corpo e com o contorno dos seios.

MAMAS: REDUÇÃO DE AURÉOLAS E MAMILOS

As aréolas (área pigmentada no centro dos seios) e os mamilos (parte projetada, localizada no centro das aréolas) podem parecer grandes, se comparadas ao tamanho dos seios e isso causa constrangimento em muitas mulheres. Para resolver essa situação é possível reduzir o tamanho e o diâmetro dessas estruturas através de uma cirurgia plástica que retira esse tipo específico de pele. Saiba mais sobre essa cirurgia plástica:

  •  O procedimento é simples, com sedação e anestesia local.
  • Dura cerca de 1 hora e permite a volta às atividades cotidianas em cerca de 3 dias.
  • A cirurgia plástica pode ser feita isolada, para as pacientes que não querem interferir no tamanho das mamas, ou juntamente com mamoplastia de aumento, redução de mamas ou mastopexia.
  • As cicatrizes são disfarçadas, geralmente circulares ao redor da aréola, ficando ocultas pela linha de divisão dessas áreas com a pele da mama.
  • Em cerca de 3 a 6 meses é visto o resultado final.

MASTOPEXIA PARA TRATAR ALTERAÇÕES NAS MAMAS

Existem, basicamente, três alterações que comprometem a estética das mamas:

  •  Mamas assimétricas: discretas diferenças de volume, forma e posição dos mamilos são comuns, especialmente na adolescência, o que costuma passar com os anos. Caso o problema persista, pode ser tratado com mamoplastia de aumento (com inclusão de prótese maior no lado com menos volume); ou redutora (com maior retirada no seio de mais volume). A mastopexia pode ser associada ou realizada sozinha para correção de mamilos e auréolas.
  • Mamas tuberosas ou tubulares: mamas com formato cilíndrico e/ou alongado, que se desenvolvem como consequência da formação de um anel fibroso ao redor da auréola, o que impede o crescimento natural das mamas. A correção é um pouco mais complexa e necessita um cirurgião treinado nesse tipo de cirurgia plástica. A técnica mais utilizada é a mamoplastia de aumento com mastopexia, além de retirada do anel fibroso e reorganização da estrutura das mamas. Apesar de complexa, essa cirurgia plástica apresenta ótimos resultados.
  • Simastia: mamas que apresentam confluência no sentido medial, alteração que faz com que as mamas parecem “coladas”. Podem ser congênitas ou ocorrer como efeito colateral de cirurgia de inclusão de próteses. O tratamento é muito complexo e geralmente envolve a troca de prótese por uma menor (no caso de o problema vir de uma mamoplastia de aumento) associada ou não à capsulectomia medial extensa (técnica específica para correção desse problema) e/ou capsulorrafia interna cuidadosa, em que a mama é redesenhada.

Em todos os casos é importante lembrar que a assimetria é uma alteração normal das mamas e só deve ser corrigida caso gere desconforto psicológico, afetivo ou social na vida da paciente.

A cirurgia plástica é capaz de amenizar o problema com muito sucesso, mas não é garantia de que as mamas ficarão idênticas. E principalmente, somente o cirurgião plástico poderá indicar e realizar qualquer intervenção cirúrgica.